Banneg oferece financiamento de placas solares

O Banneg – Banco de Negócios acaba de lançar uma nova linha de crédito especial, que permite o financiamento de placas solares  para casas, prédios residenciais e comerciais, indústrias e propriedades rurais – um nicho ainda pouco explorado pelos bancos brasileiros.

A placa solar – também conhecida como painel solar – é o componente mais visível do sistema fotovoltaico, por ser instalada, geralmente, nos telhados. A partir dela, os raios do sol são captados e transformados em energia elétrica.

Para máxima eficiência, é importante que a quantidade de módulos, o local, a angulação e outros requisitos técnicos sejam determinados por especialistas, por meio de estudos específicos. Essas soluções podem ser oferecidas pela EcoPower , empresa parceira homologada, que já tem mais de 600 projetos espalhados por 13 estados.

Em média, um sistema de geração de energia solar residencial custa em torno de R$ 15 mil, considerando-se os custos de equipamentos e mão-de-obra, e a placa solar tem garantia de 25 anos. Porém, esses valores podem ser mais altos dependendo do tamanho da área e de outras variáveis. De qualquer modo, o Banneg financia o valor total, em até 60 meses.

Calcula-se que a economia na conta de luz possa chegar a até 100% referente ao consumo, permitindo, assim, que o valor investido seja recuperado em um período relativamente curto, de menos de 10 anos. Vale lembrar que esse prazo de retorno pode variar, de acordo com o tipo de instalação, a incidência solar, o consumo de cada espaço e o preço da tarifa de energia em cada estado.

As fontes de energia renováveis são uma tendência global, não apenas por proporcionar economia aos consumidores e valorizar seus empreendimentos imobiliários, mas especialmente por favorecer a preservação do meio ambiente, ao reduzir a dependência de grandes usinas hidrelétricas e térmicas.

O Brasil é um dos países com maior incidência solar: cerca de 5 quilowatt-hora/metro quadrado. E, a cada ano, a capacidade de geração desse tipo de energia se torna mais expressiva, impulsionada pelas tarifas das distribuidoras cada vez mais caras em contraponto ao barateamento dos painéis.

Em entrevista à Reuters, a Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) divulgou que a expectativa do setor é de que haja um salto significativo na capacidade instalada de energia solar em 2019, o que levaria o país à marca de 3,3 gigawatts. Ao todo, acredita-se que os negócios movimentam mais de R$ 5 bilhões neste ano. Leia a reportagem completa do site Época Negócios.

Para saber mais sobre taxas de juros, carências e prazos, solicite um orçamento  com a equipe do Banneg mais perto de você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *